Dezembro Laranja: Hora de se prevenir contra o câncer de pele

 

Ao longo do ano o Brasil já se vestiu de várias cores, mas após o rosa e o azul, chegou a hora de vestir a camisa do Dezembro Laranja. Cor escolhida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia para representar a campanha contra o câncer de pele, que tem como objetivo mostrar às pessoas o quão comum é a doença e o como é fácil preveni-la e tratá-la.

Segundo o oncologista do Centro Integrado de Oncologia e Pesquisa, com a chegada do verão é importante ressaltar os riscos da exposição solar. “A radiação ultravioleta, proveniente da exposição solar excessiva e do uso de câmeras de bronzeamento artificial é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele” explica o médico.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pele é o mais comum no Brasil, representando cerca de 30% dos tumores malignos que atingem os brasileiros. A patologia é a de maior incidência no Brasil e, a cada ano, 176 mil casos são diagnosticados.

“Os tipos mais comuns são o carcinoma basocelular (CBC) – que acomete as células da camada mais profunda da epiderme – e o carcinoma espinocelular (CEC) – que se manifesta nas camadas mais profundas e superiores da pele. A incidência dos dois se deve principalmente à exposição crônica aos raios solares, o que acomete as partes mais expostas do corpo, como por exemplo, rosto, orelhas, couro cabeludo, pescoço, ombros e dorso” reforça o especialista.

Assim como os demais tumores, quanto mais cedo for realizado o diagnóstico, maiores serão as chances de cura. Alguns sintomas podem ajudar na identificação:

• Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;

• Uma pinta preta ou castanha, que muda sua cor ou textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;

• Uma mancha ou ferida que não cicatriza e continua a crescer, apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Porém, pessoas com histórico da doença na família também devem se prevenir. “Se tiver histórico na família ou presença de grande número de pintas no corpo devem ter cuidado redobrado, pois possuem maior probabilidade de desenvolver o câncer de pele” reforça Dr. Tobias.

O médico ainda dá algumas dicas para se prevenir. “É importante lembrar que somente um dermatologista é capaz de fazer o diagnóstico preciso. Além de visitar um especialista anualmente para um exame completo, existem medidas essenciais para prevenir o surgimento do câncer de pele. Fugir do horário de pico do sol (entre 10 e 16 horas), utilizar proteção diariamente – e não somente nos momentos de lazer – e escolher protetores solares (FPS) 30 que protejam contra a radiação UVA são algumas das maneiras de aproveitar a estação e manter a saúde em dia nesse verão” alerta o oncologista.