Farmacêutica do CIOP participa do Congresso do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer

 

A farmacêutica do Centro Integrado de Oncologia e Pesquisa, Priscila Mariana dos Reis Pizzo, participou do Congresso do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer (TJCC), realizado em São Paulo, com o objetivo de promover uma troca de experiência profissional de diversos aspectos do tratamento do câncer e também sobre pacientes oncológicos.

Priscila conta que entre os dias 26, 27 e 28 de setembro, todos os profissionais que estiveram presentes puderam interagir com grandes nomes da Pesquisa Clínica Nacional e discutir ações de incentivo na área oncológica para desenvolvimento de novos medicamentos, tratamentos, suporte e bem estar dos pacientes. “No Brasil, por ano são diagnosticados cerca de  577 mil novos casos de câncer e, diante destes números nós, profissionais, temos um grande desafio na área de pesquisa clínica. Hoje já existem centenas de Associações no país lutando para garantir que melhores condições de tratamento estejam disponíveis, porém individualmente as mudanças e conquistas conseguidas por cada uma são mais lentas” afirma a farmacêutica.

Ela ainda garante que foi uma ótima oportunidade para conhecer as atividades que envolvem o tratamento contra o câncer, além de conscientizar sobre a importância do papel dos profissionais como incentivadores e patrocinadores deste movimento. “Eventos como estes estimulam discussões e geram maior comprometimento e engajamento na luta contra a doença em diferentes formatos. Para o sistema de saúde se aperfeiçoar e atender a toda essa demanda é necessário, além da atuação do governo, a participação de diversos interlocutores e a sociedade de um modo geral” ressalta Priscila Reis.

 

A farmacêutica do CIOP ainda acredita que o centro é um grande incentivador deste movimento e que participa intensamente das atividades de pesquisa clínica por meio de seu corpo técnico. “Como parte deste time, acredito que encontros como este são fundamentais para inovar, oferecer a melhor assistência e defender os direitos de nossos pacientes, familiares e de toda a sociedade envolvida na cura e tratamento do câncer” conclui a profissional do Centro Integrado de Oncologia e Pesquisa.